INTERIOR DE SP: QUELUZ E ARREDORES

Depois de quase 6 meses sem posts novos, estamos aqui de novo! Por conta da pandemia do Coronavírus, ficamos sem trabalhar (e é claro, sem viajar) por um bom tempo. Com as coisas voltando, e com as devidas precauções, voltamos a trabalhar no final de junho, e pouco tempo depois, eu, a Mi e o Mambo fomos a trabalho para a cidade de Queluz-SP, a última cidade do estado antes de chegar no estado do Rio de Janeiro.

Queluz está situada em um ponto estratégico do ponto de vista turístico. Em meio às montanhas da Mantiqueira, Serra da Bocaina, Serra do Mar e o Parque Nacional da Serra do Itatiaia (RJ). Bem na junção SP-RJ-MG… É claro que opções de passeios legais por lá não faltam. Ainda pegamos um final de semana depois do curso, que nos permitiu conhecer mais coisas ali por perto!

Igreja Matriz de Queluz

Ficamos hospedados na Pousada Sítio Barreirinha (na área rural de Resende-RJ), onde o proprietário Leandro nos passou algumas dicas de lugares legais por lá.

Pousada Sítio Barreirinha

Também conhecemos o Everton, guia e proprietário da EV Ecoturismo (Agência de turismo em Queluz e arredores) que nos deu informações valiosas dos atrativos turísticos!

O lugar que trabalhamos, em si já é sensacional. Vale a pena visitar ou se hospedar. A Fazenda Casa Nova data do século XVIII e é uma das maiores e mais preservadas de Queluz. Em seu interior tem uma infinidade de móveis antiquíssimos e em bom estado, lá tem piscina, trilhas, mais de 100 jabuticabeiras nos arredores da casa e uma vista maravilhosa das montanhas.

Fazenda Casa Nova
Belíssima arquitetura
Parque Nacional do Itatiaia ao fundo

Com a ajuda do Everton, fomos até a belíssima Fazenda Restauração, da mesma época. Incrível, toda de pedra, com vários prédios e um gramado em frente. Triste saber que assim como várias outras fazendas como essa, foi construída por escravos… Mas surpreendente por sua imponência e solidez.

Fazenda Restauração no meio das montanhas
Prédios da Fazenda
Muro de pedra construído pelos escravos

No final do primeiro dia, passamos pela Ponte do Caroço, construída por escravos com pedras do rio que ela cruza. Uma paisagem linda e pouco conhecida!

Ponte do Caroço
Capela no caminho

No mesmo dia, saímos de carro e passamos pelo Marco Zero, um ponto com várias lojas e quiosques na beira da estrada, onde os três estados se encontram. Logo depois, também visitamos uma pequena cachoeira a na estrada para Itamonte-MG.

Cachoeirinha

Depois do terceiro e último dia de trabalho, paramos no Bosque das Paredes Ocultas, que fica escondidinho em uma estrada de terra próximo à uma pedreira. Conhecido como BPO, o local tem vários paredões ótimos para prática de rapel e escalada.

Bosque das Paredes Ocultas
BPO

No finalzinho desse dia, depois de chegar na pousada, pegamos o Mambo e fomos beirando a estrada e descemos até a Cachoeira do Tato, pertinho da pousada. Ficamos lá até quase anoitecer!

Cachoeira do Tato
Mambo, nosso companheiro de aventuras!

No dia seguinte (sábado), aproveitamos para passear! Fomos até a cidadezinha histórica de Areias-SP. Por conta da pandemia, estava tudo fechado. Tiramos algumas fotos e seguimos viagem. Paramos também em um belo mirante na beira da estrada.

Praça matriz e coreto de Areias-SP
Vista do mirante
Chegando em São José, que vista linda!

Seguimos mais um tempo até chegar em São José do Barreiro-SP, portal da Serra da Bocaina. O centro da cidade é muito simpático, mas acabamos saindo logo de lá. Também, tudo fechado.

Pracinha de São José do Barreiro
Cachoeirinha na beira da estrada

De lá, rodamos mais uns bons quilômetros, e com a ajuda do Santo Google, passamos pela cidade de Lavrinhas-SP e chegamos à sensacional, master blaster Cachoeira da Pedreira.

A paisagem já é de tirar o fôlego!

Não tinha ninguém na portaria, mas o local estava aberto e tinha alguns carros na beira da estrada. Seguimos por uma trilha de cerca de 500m e avistamos o rio. Azul, cristalino, como eu nunca tinha imaginado ver aqui no estado de São Paulo!

O rio lá embaixo já surpreende!

Andamos mais um pouco e paramos na cachoeira. A água, muito transparent, incrível! Passamos por mais alguns lagos, e ficamos lá curtindo, mas não entramos na água (gelaaada!)

Sensacional!!!
A cor da água!

Nessa mesma tarde, seguimos viagem e fomos até Passa Quatro-MG. Lá, próximo à beira da estrada, e com algumas indicações, conhecemos o Túnel da Mantiqueira. Esse túnel ferroviário tem cerca de 1km de extensão e fica exatamente na divisa dos estados de SP e MG. De um lado do túnel, município de Cruzeiro-SP… Do outro lado, Passa Quatro-MG!

O Mambo já conhece o caminho!
Estação
Fonte para os peregrinos na beira da ferrovia

Também seguindo o GPS, pouco depois, descemos para o Poço do Manacá. Algumas fotos, e bora pra estrada!

Poço do Manacá! Perto do túnel.

Já no final do dia, passamos em Itamonte-MG, compramos uns queijos (inevitável) e visitamos mais uma cachoeira: A Cachoeira do Coura. Um lago grande, uma pequena ilha e uma queda d’água não muito alta, mas muito forte.

Cachoeira do Coura
Até a Próxima!

Logo voltaremos a Queluz. Vamos conhecer mais alguns desses lugares maravilhosos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s