BUENO BRANDÃO/MG – JUL/2011

Destino: Bueno Brandão, a capital mineira das cachoeiras. Pegamos as tralhas e as barracas e saímos de Botucatu bem cedo, eu, a Mi, a mãe dela e o padrasto. Passamos por Ouro Fino (paramos novamente para a foto com o Menino da Porteira). Chegamos ao destino ainda de manhã, já procurando pelas cachoeiras. A primeira que conhecemos foi a Cachoeira do Luís. No local há uma fazenda com vários atrativos e a entrada custava R$3 por pessoa. Primeiramente descemos até cachoeira propriamente dita. É bastante alta e se divide em duas, com árvores no meio. Na parte lateral tem um mirante, e a cachoeira não é muito íngrime, a água escorre pelas pedras. Não entramos na água pois estava muito frio.

 

Cachoeira do Luís

Cachoeira do Luís

Depois fomos até a parte de cima da fazenda. No local há um circuito de arvorismo  organizado e com plataformas altas. Pagamos R$30 por pessoa.

 

Perguntamos ao porteiro da fazenda onde havia campings. Já havíamos visto alguns lugares, mas todos com muita gente e todos por volta de R$25 por pessoa a diária. O porteiro nos informou de uma chácara de um amigo, que estava em reforma, e cobraria R$15 cada. Na ocasião e no frio que estava, aceitamos e fomos até a casa. Casa simples, mas com luz, água, banheiro e chuveiro quente – já estava ótimo.

 

Nosso hotel

 

Ah, sim, havia um “fogão de lenha”no fundo da casa, meio improvisado, mas na hora resolveu. Depois do almoço começamos a ouvir estalos vindos do pasto atrás da casa. Era o fogo que subiu do fogão de lenha para o mato seco do barranco que estava logo acima. Foram uns 15 minutos de desespero total ara apagar o fogo, que se alastrava rapidamente. Após jogar água, pisotear e bater com tudo que encontrávamos, conseguimos apagar. Descansamos e continuamos o passeio. (Saiba como resolver problemas como esse em nosso Guia de Perrengues).

Fomos até a Cachoeira dos Félix (R$2 por pessoa). Lá tinha um pessoal observando. Tentamos entrar na água, mas logo percebemos porque as pessoas só estavam olhando (GELADA !)

 

Cachoeira dos Félix

 

Depois partimos para o mirante (do Cristo) da cidade, de onde tem uma bela vista.  Demos mais umas voltas pela cidade e conhecemos o Camping do Vinho, que pareceu um lugar bacana, onde o casal que mora no local é bem simples. Lá tem fogão de lenha, eles fazem almoço, vendem mel, queijo, e é claro, vinho. Já anoitecendo, com um frio e um vento absurdos, subimos a um outro mirante da cidade, bem mais alto, com uma estrada de terra muito íngrime (achei até que o carro não fosse subir). Mas deu certo e chegamos lá. A vista do pôr-do-sol é maravilhosa !

 

Pôr do Sol

 

Voltamos à casa já à noite, tomamos banho e fomos para a cidade – lá estava acontecendo a famosa Festa do Zé Bagunça. Uma festa junina tradicional de Bueno Brandão, que acontece na praça central e tem dança, fogos, decorações e barracas com as deliciosos doces e comidas típicas mineiras. Comemos e nos divertimos muito!

 

Festa do Zé Bagunça

 

Retornamos à casa e dormimos. Acordamos no dia seguinte, estava um frio lascado (depois ficamos sabendo que fez -2º nessa noite). Ainda bem que não acampamos ! No dia seguinte passamos por Monte Sião, e as mulheres passearam bastante por lá.  Em Bueno Brandão há muitas outras cachoeiras, assim que tivermos oportunidade (e fizer calor), vamos para lá novamente para aproveitar !

Confira mais lugares interessantes no sul de Minas Gerais clicando AQUI e AQUI. Confira também o Revolteio na Terra das Cachoeiras Gigantes do Paraná!

 

SIGA O REVOLTEIO NAS REDES SOCIAIS:

FACE       INSTA      PINTE      YouTube-icon-400x400

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s